NOTÍCIAS

Devo fazer congelamento de gametas?

Congelar óvulos é opção para mulheres que querem engravidar futuramente

Já não é novidade falar que a vida da mulher mudou consideravelmente nos últimos 30 anos, não é mesmo? Isso inclui priorizar a carreira e outros aspectos da vida, deixando a maternidade para um plano futuro. Com os avanços da medicina, as mulheres estão conseguindo ser mães conforme seus planejamentos pessoais, a partir de alternativas como o congelamento de óvulos,

Os números comprovam a preferência pela gravidez tardia: mais de 30% das gestações no Brasil são de mulheres entre 30 e 39 anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E há ainda as mulheres acima dos 40 anos que decidem engravidar, como a cantora Ivete Sangalo, que revelou sua gravidez aos 45 anos.

De fato, a idade da mulher interfere consideravelmente no sucesso de uma gravidez natural. A partir dos 35 anos, a chance de gravidez começa a diminuir gradativamente e, aos 40, ela é de cerca de 10%.

Por isso, Ivete Sangalo foi beneficiada pelas técnicas de reprodução assistida. Ela revelou ter feito congelamento de gametas, pois planejava uma data limite para engravidar novamente – ela já era mãe de Marcelo, de 7 anos. Assim, quando estava pronta para a nova gravidez, contou com a fertilização.

Como funciona o congelamento

O congelamento de óvulos (criopreservação) funciona da seguinte forma: os óvulos são coletados após uma indução da ovulação. Isso é feito com medicamentos seguros.

O óvulo é submetido a uma variação de temperatura de 37ºC a -196ºC em menos de um segundo. O material congelado fica armazenado em nitrogênio líquido, podendo ser mantido assim por tempo indeterminado.

O gameta feminino ficará, assim, armazenado para quando a mulher estiver em plenas condições para passar pelo processo de fertilização.

Como após os 35 anos existe uma perda gradativa e natural da quantidade e qualidade dos óvulos, a decisão do congelamento de gametas deve ser tomada o quanto antes.

 

Vale ressaltar que a mulher que opta pelo congelamento não precisa ser casada ou ter um parceiro. A decisão de uma gravidez fica a cargo dela, podendo contar com um doador anônimo, por exemplo.


COMENTÁRIOS

Dra. Claudia Navarro CRM 21.198 / RQE 38.556 Diretora clínica da Life Search e membro do corpo clínico do Laboratório de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas da UFMG.
INSCREVA-SE PARA NOVIDADES
Todos os direitos reservados a Claudia Navarro. Desenvolvido por Agência Salt.