NOTÍCIAS

Endometriose e infertilidade: como e quando tratar

Categoria: Endometriose

A endometriose é a principal causa da infertilidade no sexo feminino. Estima-se que a doença atinja entre 7 e 10 milhões de mulheres no Brasil.

A condição recebe esse nome por atingir o endométrio, o revestimento do útero que seu corpo produz a cada mês para deixá-lo preparado para uma gestação.

Em um ciclo normal, quando a concepção não ocorre, seu corpo elimina o endométrio e ocorre o período menstrual.

O diagnóstico da endometriose é realizado com laparoscopia. Há exceção para quadros em que a endometriose forma um cisto no ovário (endometrioma), que pode ser visto com ultra-som.

A laparoscopia consiste na inserção de um escopo através do umbigo e no abdômen. Durante o procedimento, o médico pode tratar a endometriose com cauterização, laser ou tesoura para remover as lesões.

  • Sintomas da endometriose

A endometriose costuma ser assintomática em até 20% das mulheres. No entanto, o mais comum é que pacientes com endometriose apresentem os seguintes sintomas:

– Desconforto antes e durante a menstruação (cólicas)
– relação sexual dolorosa
– Dor ou outras anormalidades com micção ou evacuações durante a menstruação
– Fadiga

Algumas mulheres com endometriose também podem ter outros distúrbios imunológicos, como asma, eczema e fibromialgia. No caso da endometriose, a intensidade e a quantidade de sintomas não está diretamente relacionada à gravidade da doença.

  • Impacto na fertilidade

A fertilidade pode ser afetada pela endometriose. A inflamação da fímbria, responsável por transportar o óvulo para a trompa de falópio, provoca inchaço e cicatrização. Como consequência, pode ser que o óvulo não chegue ao destino.

E não para por aí. O fato de haver uma inflamação na região pode prejudicar tanto óvulos quanto espermatozóides. Quadros mais graves podem chegar a causar aderências, deixando os órgãos pélvicos presos um ao outro.

A endometriose pode, ainda, bloquear as tubas uterinas.

  • Gravidez e endometriose

A gravidez pode ser a forma de curar a endometriose. Os hormônios produzidos na gestação são responsáveis por acabar com o problema.

Contudo, em casos mais graves e que provocam infertilidade, é realmente necessária a laparoscopia. Depois da cirurgia, há maiores chances de concepção nos primeiros meses.

Então, uma vez que o bebê está crescendo no útero, a endometriose deixa de ocorrer. É importante, porém, manter o acompanhamento. O médico irá te ajudar a evitar que a endometriose volte a ocorrer.

Quer mais dicas como essas? Siga meu instagram @draclaudianavarro.


COMENTÁRIOS

Dra. Claudia Navarro CRM 21.198 / RQE 38.556 Diretora clínica da Life Search e membro do corpo clínico do Laboratório de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas da UFMG.
INSCREVA-SE PARA NOVIDADES
Todos os direitos reservados a Claudia Navarro. Desenvolvido por Agência Salt.