NOTÍCIAS

FIV. Fiz e deu errado. Devo desistir?

FIV: Quando o procedimento não funciona vale a pena uma segunda tentativa?

Quando se trata do sonho de carregar o tão aguardado bebê em seus braços, as expectativas são bastante altas. A dificuldade para engravidar aumenta o tempo de espera e faz, também, crescer a ansiedade e o medo.

No caso de pessoas que recorrem às técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV), o sucesso pode vir na primeira tentativa trazendo logo a alegria do primeiro filho.

Entretanto, há casos que não são bem sucedidos de imediato e surge a dúvida: devo desistir?

Vem comigo que respondo essa pergunta e explico um pouco mais sobre o assunto a seguir.

Vale a pena uma segunda tentativa?

Quem está tentando engravidar deve ter em mente que nem sempre o resultado vem de primeira. Nesses casos, é preciso uma dose extra de confiança, paciência e determinação.

Vale ressaltar que durante o Congresso da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva realizado neste ano (2019), os especialistas já falavam em taxas de sucesso em torno de 80% para realização do procedimento de fertilização in vitro.

Para saber se a repetição da FIV é aceitável, é fundamental fazer uma avaliação para identificar o que pode ter contribuído para a falha no primeiro tratamento.

Somente após essa avaliação vale a pena partir para a segunda tentativa. Do contrário, o processo pode aumentar a angústia do casal e levar a uma frustração.

O que pode ter dado errado?

A primeira coisa é entender que a medicina considera que o tratamento foi bem sucedido quando leva ao nascimento de um bebê nascido-vivo saudável, excluindo as taxas de aborto e má formação.

Muitos fatores contribuem para a falta de êxito na gestação, mas eles podem não ter nada a ver com o tratamento de FIV em si. Os mesmos fatores que favorecem a fecundação natural influenciam no sucesso de uma fertilização in vitro. São eles:

– idade da mulher
– número e qualidade de óvulos
– qualidade dos espermatozoides
– dificuldades de implantação do embrião

Ao fazer a avaliação, o especialista poderá levantar algumas hipóteses e sugerir possíveis soluções.

1. Ao suspeitar de má qualidade dos gametas, femininos ou masculinos, o médico poderá indicar a doação de óvulos e espermatozoides para a FIV.
2. Caso os embriões transferidos sejam de boa qualidade e o útero não apresente alterações visíveis, há uma forte possibilidade de dificuldade na implantação dos embriões. Algumas opções de tratamento podem ser indicadas aumentando as chances para que a FIV funcione da próxima vez.
3. Se a saúde da mulher estiver comprometida, é preciso que ela se cuide primeiro para então realizar uma nova tentativa. Além disso, manter uma alimentação e rotina saudáveis ajuda a equilibrar os hormônios e diminui os riscos para uma gravidez.

Como funciona exatamente a FIV?

A fertilização in vitro, ou FIV, como é mais conhecida, é um método de reprodução em que os espermatozoides são colocados em contato com os óvulos no laboratório. Ela é indicada para casais que apresentam infertilidade em diferentes graus e causadas por diversos fatores.

Os passos básicos para uma FIV são:

● Indução da ovulação
● Coleta do óvulo por meio de uma punção ovariana
● Inseminação do óvulo
● Fertilização
● Cultura de embriões
● Transferência de embriões

Concluindo

Ter de recomeçar faz parte do ciclo da vida. Para tentativas de gravidez não é diferente, até mesmo em processos naturais. A FIV é uma das técnicas mais indicadas em todo mundo exatamente pelas excelentes taxas de nascimentos decorrentes dela.

Sendo assim, a probabilidade de um resultado positivo em uma FIV vai depender da saúde e das condições de cada casal. O importante é não desistir de ter um bebê, se esse for o seu sonho.

O acompanhamento de uma clínica de reprodução e de profissionais especializados vai lhe dar a segurança e confiança necessários para realizar uma segunda ou terceira tentativas, considerando todas as possibilidades, inclusive a situação financeira de cada um. Se não for possível investir na mesma técnica, há outros caminhos que poderão ser analisados.


COMENTÁRIOS

Dra. Claudia Navarro CRM 21.198 / RQE 38.556 Diretora clínica da Life Search e membro do corpo clínico do Laboratório de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas da UFMG.
INSCREVA-SE PARA NOVIDADES
Todos os direitos reservados a Claudia Navarro. Desenvolvido por Agência Salt.