NOTÍCIAS

Posso praticar atividade física na gravidez?

Categoria: Destaques

As mulheres que têm o hábito de praticar atividade física na gravidez contam com inúmeros benefícios. No entanto, devido às mudanças fisiológicas que ocorrem durante a gestação, algumas precauções também são necessárias.

Uma gravidez de reprodução assistida, por exemplo, merece atenção especial quando o assunto é exercício físico. Ainda no período de tratamento, durante a estimulação ovariana, os ovários aumentam de tamanho devido ao crescimento dos folículos. A atividade física mais intensa deve ser evitada não só pelo desconforto que pode causar, mas também pelo risco de torção ovariana.

Na segunda fase, após a transferência do(s) embrião(s), é aconselhável moderar a atividade física, apesar de não haver evidência da necessidade de repouso. O ideal é sempre seguir a orientação médica e lembrar que apesar de existirem orientações gerais, os cuidados devem ser individualizados.

Atividade física na gravidez: principais benefícios

Os benefícios da atividade física na gravidez incluem:

  • Redução do risco de ganho excessivo de peso
  • Prevenção de diabetes gestacional
  • Prevenção de pré-eclâmpsia
  • Prevenção de varizes e trombose venosa profunda
  • Preparação do corpo para o momento do parto
  • Bem-estar mental

Este último ponto merece um destaque especial. A atividade física leva a vantagens psicológicas durante a gestação, que envolvem redução da fadiga, estresse, ansiedade e depressão, e melhora o bem-estar como um todo.

Além disso, as mulheres que estão ativas durante a gravidez têm maior probabilidade de continuar a atividade física durante o pós-parto. Isso favorece a saúde para toda a vida da paciente.

Existem algumas evidências de que a prática de exercícios físicos durante a gravidez está associada à diminuição da incidência de complicações no parto. No entanto, atividades em excesso, podem trazer problemas como a redução do peso ideal do bebê ao nascer. Por isso, conte sempre com a orientação do obstetra.

Atividade física na gravidez: algumas indicações

Apesar da Organização Mundial de Saúde (OMS) apresentar diretrizes sobre atividade física para adultos entre 18 e 64 anos (praticar pelo menos 150 minutos de atividade aeróbica moderada durante a semana, ou pelo menos 75 minutos de intensidade aeróbica), a entidade alerta que mulheres grávidas devem procurar orientação médica antes de iniciarem atividades físicas.

De maneira geral, vários tipos de exercícios físicos podem ser praticados por gestantes, embora, em suma, sejam divididos em três grandes categorias:

  • Exercícios aeróbicos, visando ganho de força e envolvendo adaptações cardiovasculares mais expressivas;
  • Exercícios resistidos, realizados principalmente para obter hipertrofia e força muscular;
  • E exercícios de alongamento, que causam um aumento do tamanho das fibras musculares, melhorando a flexibilidade.

Riscos e contraindicações

Segundo a Sociedade Canadense de Ginecologia e Obstetrícia, os riscos de praticar atividade física moderada e sob orientação durante a gravidez são mínimos, não afetando crescimento ou desenvolvimento fetal. Além disso, o exercício não interfere na lactação, quando praticado durante o período puerperal.

Ainda segundo a Sociedade Canadense, a partir do segundo trimestre de gravidez, algumas precauções devem ser tomadas durante a prática de atividade física. Recomenda-se evitar a posição supina durante os exercícios, pois pode causar dificuldades no retorno venoso com consequente diminuição do débito cardíaco e aumento do risco de hipotensão ortostática.

Por fim, não custa reforçar: qualquer tipo de atividade física, mesmo para gestantes consideradas saudáveis, devem ser realizadas sob orientação médica.


COMENTÁRIOS

Dra. Claudia Navarro CRM 21.198 / RQE 38.556 Diretora clínica da Life Search e membro do corpo clínico do Laboratório de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas da UFMG.
INSCREVA-SE PARA NOVIDADES
Todos os direitos reservados a Claudia Navarro. Desenvolvido por Agência Salt.