A relação entre a infertilidade e a hipófise precisa ser investigada quando a mulher ou o casal está tentando engravidar, sem sucesso por mais de 12 meses. Pode parecer estranho que uma pequena glândula do cérebro seja tão importante para tentantes, mas é justamente isso.

A hipófise é responsável pela regulação hormonal, inclusive os sexuais, de forma que distúrbios acabam sendo prejudiciais tanto para mulheres quanto para homens. A seguir, vou detalhar melhor o que ela faz e qual a relação com a infertilidade. Acompanhe!

Qual é a relação entre infertilidade e hipófise?

A hipófise é uma importante glândula que fica na base do nosso cérebro. Seu papel é de regulação de outras glândulas e questões hormonais, de forma que alterações podem levar a impactos na produção de espermatozoides e de óvulos.

Em outras palavras, mulheres podem simplesmente não ovular ou apresentar um ciclo irregular. No caso dos homens, se essa glândula não trabalha corretamente, a qualidade dos espermatozoides pode ser prejudicada, uma vez que há alteração na produção do hormônio testosterona.

E, assim, haverá dificuldades para quem estiver tentando engravidar nessas condições.

Por que ocorrem alterações na hipófise?

A causa mais comum de alteração na hipófise e que acaba por interferir na fertilidade é um tumor benigno, chamado de adenoma. Algumas das consequências disso:

  • Aumento da produção do hormônio prolactina (ligado à produção de leite);
  • Alteração da produção do FSH (hormônio folículo-estimulante), importante tanto para ovários quando testículos;
  • Alteração do LH (hormônio luteinizante), também com função reguladora das glândulas masculinas e femininas.

Entretanto, outros fatores podem interferir no funcionamento da hipófise, como uso de determinados medicamentos, lesões e alterações genéticas, por exemplo. 

Como descobrir infertilidade ligada à hipófise?

A chamada disfunção hipofisária apresenta alguns sintomas, como:

  • Anovulação (ausência de ovulação)
  • Amenorreia (ausência de menstruação);
  • Baixa libido;
  • Galactorreia (produção de leite fora da gestação);
  • Disfunção erétil, no caso dos homens;
  • Alterações de apetite e de peso;
  • Cansaço e fadiga.

Mulheres e casais que estão tentando engravidar devem ficar atentos a esses sinais e procurar ajuda médica especializada, para que seja feito o diagnóstico.

A partir da consulta clínica, o especialista em reprodução humana possivelmente indicará alguns exames que têm como objetivo conhecer a função hormonal da mulher, bem como as características dos espermatozoides do homem.

Geralmente, essas avaliações verificam como está a produção hormonal do eixo hipotálamo-hipófise-ovariano, uma vez que tanto o LH e o FSH, além de estradiol, progesterona e prolactina  estão associados a essas glândulas.

Como tratar infertilidade nesses casos?

O tratamento para infertilidade em casos associados a disfunções hipofisárias depende do grau dessas alterações e do impacto na vida dessas pessoas.

Em algumas situações, o médico poderá recomendar medicamentos para o controle, por exemplo, da produção excessiva de prolactina (hiperprolactinemia), uma vez que essa condição pode levar à anovulação.

Por outro lado, a cirurgia do adenoma também pode ser considerada. É um procedimento feito por via transesfenoidal, isto é, pelo nariz. Mas somente um acompanhamento médico individualizado será capaz de definir a abordagem terapêutica a ser seguida.

Procure ajuda se estiver tentando engravidar

Se você estiver enfrentando a infertilidade, não deixe de procurar ajuda de um especialista em reprodução assistida. Ainda que seu caso não tenha relação com a hipófise, é importante que seja feita uma investigação do que está dificultando a gravidez.

Ainda que não haja uma causa definida, existem tratamentos capazes de te ajudar na realização do sonho.