Até 15% dos casais que estão tentando gerar um filho enfrentam dificuldades para conceber, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os motivos da infertilidade são diversos, e tanto mulheres quanto homens podem se ver diante dessa situação.

Geralmente, depois de um ano de tentativas sem sucesso, o recomendado é buscar um profissional especializado para investigar as possíveis causas da infertilidade.

Por outro lado, no caso das mulheres com mais de 35 anos, seis meses é o tempo máximo até a hora de procurar um médico, uma vez que a reserva ovariana declina consideravelmente a partir dessa idade.

Para você que está tentando engravidar, o objetivo desse texto é ajudar você a entender como escolher a melhor clínica de fertilização para o seu caso.

Com ajuda profissional, será possível investigar alterações na saúde e, então, iniciar tratamentos específicos. Para escolher uma clínica de reprodução, devemos levar em conta diversos fatores, mas não simplesmente os técnicos.

Escolhendo a clínica de reprodução

Confira alguns pontos básicos que são indispensáveis na sua escolha da clínica de fertilização, e que vamos detalhar melhor ao longo do texto.

  • Medidas de higiene e segurança;
  • Acolhimento e zelo com cada paciente;
  • Atendimento individualizado, diferenciado e específico para cada caso;
  • Garantia de sigilo médico (uma premissa da ética médica);
  • Equipe preparada, devidamente capacitada e treinada para as mais diversas situações médicas;
  • Recursos e equipamentos de ponta para exames e procedimentos.

Clínica de fertilização: 6 fatores para levar em conta

A pandemia de Covid-19 fez com que consultórios, clínicas e hospitais reforçassem suas medidas de higienização e segurança. Por isso, um dos fatores mais importantes na hora de procurar uma clínica de fertilização é observar se o local está devidamente preparado para isso.

1. Medidas de higiene e segurança

Se a limpeza já deveria ser rigorosa antes da pandemia do coronavírus, agora então esse é um fator para priorizar na escolha da clínica de fertilização. Para isso, procure saber questões como:

  • Protocolos de distanciamento social;
  • Restrição sobre o número de pessoas na sala de espera;
  • Orientação sobre o número máximo de acompanhantes;
  • Higienização constante do consultório, bem como das áreas comuns;
  • Uso de equipamentos de segurança por parte dos funcionários;
  • Álcool em gel para pacientes e/ou torneira com água ou banheiro disponível.

Alguns protocolos e normas podem sofrer alterações à medida em que a pandemia for sendo controlada. Entretanto, isso não é motivo de relaxamento total por parte da clínica onde você for fazer tratamento de infertilidade.

Ou seja, com ou sem pandemia, fique de olho se o estabelecimento segue critérios rigorosos de higienização e segurança.

2. Acolhimento e zelo ao paciente

Entre os principais critérios que devemos ter na hora de escolher uma clínica de fertilização, o zelo com o paciente certamente deve estar nos primeiros lugares.

A infertilidade pode ser motivo de angústia para mulheres e homens, que chegam à clínica muitas vezes fragilizados emocionalmente, em busca de respostas para suas dificuldades. É por isso que esse acolhimento é tão fundamental nessa hora.

Devemos ser pragmáticos, sim, para investigar tudo aquilo que possa estar limitando a fertilidade. Mas, mais que isso, precisamos de tratamento humanizado, que entenda as dores de cada um.

4. Garantia de sigilo médico

Mulheres, homens, casais. São muitos os pacientes que não se sentem à vontade para revelar publicamente que estão fazendo tratamento para engravidar. Isso é natural, e o desejo de cada paciente não apenas deve ser respeitado, como também faz parte de uma regra da ética médica.

Todo e qualquer tratamento de saúde, seja de infertilidade ou não, deve ser mantido entre paciente e médico, apenas. Portanto, na hora de escolher a clínica de fertilização e a equipe que irá conduzir o tratamento, sinta essa relação de confiança para, então, seguir em frente.

5. Equipe preparada, capacitada e treinada

Uma clínica de reprodução que atue dentro das normas e regulamentações médicas e que conte com profissionais devidamente registrados no Conselho Regional de Medicina (CRM), inclusive com o Registro no de Qualificação de Especialista (RQE).

O RQE funciona da seguinte forma: após os anos regulares de graduação para formar médicos, é preciso um novo período de estudo e prática para que, então, tornem-se especialistas registrados, como ginecologistas e obstetras.

Os demais profissionais que atuam no estabelecimento, sejam da área da saúde ou administrativa, também precisam ser capacitados e treinados para prestar um atendimento seguro e de excelência.

6. Recursos e equipamentos de ponta

A área da reprodução humana exige muito conhecimento científico, bem como recursos tecnológicos. Portanto, a escolha de uma clínica de fertilização deve levar em conta o que há de mais moderno em termos de opções de tratamentos, assim como de apoio de laboratórios e equipamentos.

Alguns fatores para avaliar na clínica de reprodução:

É válido lembrar que as clínicas de fertilização não fazem apenas FIV. Como você pode ler no texto, as causas da infertilidade podem ser inúmeras e, por isso, os tratamentos oferecidos também são diferenciados.

Devemos ressaltar ainda que, seja quais forem os procedimentos realizados, o estabelecimento deve estar rigorosamente de acordo com órgãos regulamentadores como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), bem como outros em níveis regionais.

Peça depoimentos e escolha a sua clínica

De toda forma, se você ainda tem dúvidas sobre como escolher uma clínica de fertilização, procure saber também sobre a avaliação do estabelecimento e depoimentos dos próprios pacientes sobre médicos especialistas em reprodução assistida.

Tenha paciência em sua busca para, então, tomar a melhor decisão para você.

Clique aqui para entrar em contato.